Publicada no dia 31/01/2012
1º Centenário da Abadia de Santa Maria
O ano de 2011 foi marcado por um grande acontecimento no mundo monástico e na Ordem de São Bento: o centenário da primeira Abadia beneditina feminina das Américas, a Abadia de Santa Maria, em São Paulo. Só não poderíamos imaginar como o Senhor de nossas vidas e da história havia planejado tal celebração.

Foi assim, nesse clima de fé, que tivemos em 1º de julho, a páscoa da então Abadessa de regime, Madre Maria Teresa Amoroso Lima, OSB, após 33 anos de abaciado; a eleição (em 6 de agosto) e a bênção abacial (em 9 de outubro) de uma nova abadessa, Madre Escolástica Ottoni de Mattos, OSB.

Após essa experiência de páscoa e ressurreição, morte e vida, três belíssimas celebrações marcaram as comemorações do Centenário de nossa Abadia-Mãe: no dia 19 de novembro, uma Celebração Eucarística abrindo o jubileu, presidida pelo Arcebispo da Arquidiocese de São Paulo, Exmo.e Revmo. Senhor Cardeal D. Odilo Pedro Scherer; no dia 24 (data da fundação), a celebração presidida por D. Abade Mathias Tolentino Braga,OSB, Abade do Mosteiro de São Bento em São Paulo, com a presença de monges e monjas dos Mosteiros da Congregação Beneditina do Brasil; e por fim, no dia 11 de dezembro, a grande celebração presidida pelo Abade Primaz da Ordem Beneditina, D.Notker Wolf,OSB, com a participação de representantes de todo o mundo monástico e religioso, assim como oblatos de nossos mosteiros, amigos e benfeitores.

Ressaltamos a presença de duas abadessas muito queridas para os nossos mosteiros, e de modo especial para a Abadia centenária: Madre Abadessa Andrea Savage,OSB, da Abadia de Stanbrook, Inglaterra, berço da vida monástica feminina no Brasil, e de Madre Abadessa María Cristina Moroni,OSB, da Abadia de Santa Escolástica, Argentina, 1ª fundação da Abadia de Santa Maria. A presença delas em nossas celebrações deu-nos muita alegria!

Quanta beleza em todas essas celebrações, quanta harmonia e unidade, quanta experiência profunda e rica de uma verdadeira vida fraterna. Poderíamos, sem exageros, afirmar que tivemos uma experiência do céu, da vida das bem-aventuranças, onde Deus é tudo para todos, onde nada antepomos ao amor de Cristo.

“Como é bom, como é suave os irmãos viverem juntos bem unidos!” (Sl 132), canta o salmista, cantamos nós!

Havia em todas essas celebrações um denominador comum: a alegria da gratidão e da ação de graças por tudo que recebemos e vivemos nesses 100 anos de história do monaquismo feminino no Brasil.

Sentimo-nos como membros de uma mesma família, unindo nossas vozes e nossos corações para cantarmos as maravilhas do Senhor, para afirmarmos com as nossas vidas que “é eterno o seu amor”.

Nesse clima de gratidão e ação de graças, terminamos esse belo ano jubilar e iniciamos, renovados por tantas graças, esse Novo Ano. Que possamos ver frutificar em nossas vidas, na vida de nossas comunidades e famílias, tudo que recebemos dessa “grande tradição” beneditina, “para que em tudo seja Deus glorificado”, hoje e sempre! Amém!


Me.Martha Lúcia Ribeiro Teixeira,OSB