A vida monástica tem sua expressão máxima na vida de oração. Esta se apóia nos seguintes fundamentos:



- A PALAVRA DE DEUS que a monja procura escutar através da Lectio Divina.
Com ouvidos atentos ao que diz a voz divina (Regra de São Bento, Prólogo 9), a monja procura escutar diariamente esta Palavra, acolhendo-a no coração e esforçando-se por traduzi-la em atos.

- A CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA com fonte e cume da vida espiritual da monja.
A dimensão cristológica da oração encontra sua expressão mais forte na celebração da Eucaristia que é sinal de unidade da vida comunitária.


- A LITURGIA DAS HORAS como expressão da oração comunitária.
Conforme a tradição monástica e os ensinamentos da Igreja, os monges são chamados a celebrar a Liturgia das Horas comunitariamente (Regra de São Bento 8-18).
Reunida nesta celebração a comunidade monástica constitui uma realidade eclesial que exerce no meio do povo de Deus o seu carisma próprio, sobretudo seu caráter contemplativo de louvor, gratuidade e intercessão.



- O CULTO A MARIA, modelo e proteção de toda vida consagrada.
A devoção à Virgem Mãe de Deus é também um poderoso meio para o crescimento na virtude.



- O SILÊNCIO PESSOAL E COMUNITÁRIO como manifestação do silêncio interior e expressão de vida na presença de Deus.
É indispensável para o relacionamento com Deus e a escuta atenta de sua Palavra, bem como para um bom relacionamento fraterno. Dá ao mosteiro um clima de recolhimento e de paz. (Regra de São Bento 6,42).